2017-04-14

Amargo na boca



Há um amargo na boca,
Um fogo na barriga!
A saudade da amada,
Que pouco nos quis,
Nem soube ser amiga!
Vidas perdidas no vazio,
De quem não soube (ou não quis);
Aproveitar as oportunidades.
Passou correndo, água de um rio.
Talvez não estivesse esfomeada,
De afectos, de paixão, de amor!
E se pudesse dar ao luxo de desperdiçar.
Jardim sem flor...
Ou esteja por demais habituada,
A fazer dos outros desperdício,
Do seu amor próprio, mais dada,
A um platonismo confortável.
Como as crianças sem amigo,
Que às vezes se lembram,
De brincar com o brinquedo antigo.
E só, mais só do que antes,
Porque nunca fomos amantes,
Ter de transformar a solidão em força.
Uma que resista a todas as mortes,
Enquanto a definitiva não chega.
Ser sábio é um busílis!
Descarregar a bílis,
Que esta vida tão oca,
Dá um amargo na boca!

2017-03-11

Partir



O crepúsculo é a única coisa,
Verdadeiramente dourada,
Que nos inunda a alma;
Quando ainda temos uma!
A música às vezes,
Deixa tocar a transcendência!
Os sonhos e o amor,
São engodos;
Para resistir à loucura de existir!
Há sempre uma hora de partir.
Um tempo em que não podemos ficar...

2017-02-03

P'ra nada!



Por mais que eu queira,
Não há maneira,
De quebrar a maldição,
De ter vindo em vão.
Talvez a vida se queira ligeira,
Já que a existência é passageira.
Dizem-me que não  faz mal,
Faz parte  do ciclo natural.
Mas a mim, sabe-me mal!
Agarrei-me à vida à dentada,
E sei e sinto, foi p'ra nada!

2017-01-07

Ser ou não ser




Dizem que sou poeta.
Poeta não sou, não...
Que não me movimento
Pelo meio dos fabricantes de talento,
Dos fazedores de opinião,
De quem por artes mágicas,
Do seu largo traseiro,
Faz uma fonte de dinheiro!
Ou das que mesmo escrevendo mal,
Fazem sucesso na horizontal!

2016-05-06

Porque amanhã não será domingo



Porque amanhã não será domingo,
É preciso continuar a lavrar a terra.
Trabalho em suor nunca findo,
De quem pouco acerta e muito erra.

Porque amanhã não será domingo,
É preciso cerrar os dentes.
Não é hoje ainda que me vingo,
Mas por favor, não me tentes!

Porque amanhã não será domingo.
Devo guardar alguma força ainda.
Neste proletário cansaço findo,
Anseio esse domingo, a sua vinda!