2018-05-31

Eutanásia




Andámos a pedir sacrifícios,
Pelos grandes malefícios,
Que banqueiros loucos,
Na sua ganância, aos poucos,
Nos fizeram pagar.

Agora salva a banca sem rosto,
Vem o Estado, Rei posto,
Travestida marioneta,
Dizer que é precisa contenção,
Nesta nau Catrineta!

E sem orçamento,
Para salvar quem está doente,
É mau momento,
Para cair, ficar carente…
Terás de decidir entre comer,
Ou os medicamentos e o sofrer!

Mas se a vida é sofrimento,
Há os cínicos caridosos,
Que não te deixam à toa.
Já têm pronta a tua folha,
Dão-te uma escolha:
Ter uma morte boa!

2018-04-29

TONTERIA


Pudera eu ser tonto até cair!
Seria apenas a criança traquinas,
Ainda em mim, a querer sair!

2018-03-01

Caixa Negra





Fecharam-me numa caixa negra,
De um negro espesso e sem limites,
Onde se berrar me afogo!

2018-01-20

Meia-mão



Sou um lemingue correndo na floresta,
Sou coisa que pouco presta!
Oh minha pouca sorte,
Corro apenas para a minha morte!
Amei-te com paixão,
Nos meus olhos esta bruma,
Até me dares só meia-mão,
E a acabar sem nenhuma!

Olhar Vazio


Fizeste o meu corpo sentir-se uma praia deserta.
O teu perfume tem cheiro de maresia,
Carregada no vento forte da nortada;
(Esse mesmo que faz da areia milhentos alfinetes).
Um beijo teu salvaria minha alma naufraga.
Tua mão estendida resgatar-me-ia deste mar salgado.
O esboço de um gesto teu, querendo tocar a minha face,
Iluminaria o meu olhar suplicante, agora vazio...