2007-06-06

Angústia exorbitante



A vida é breve e passa,
Na angústia exorbitante
De um instante!
Quebra-se a taça,
Em cristalino tinir!
Ainda agora chegámos
E já temos de partir!

11 comentários:

Fúria das Águas disse...

Há esta angustia, o que fazer com ela meu amigo? Esperar e deixar secar?
Um beijo
Furia

A. M. disse...

Gostei do poema, tem qualquer coisa da transparência e da melodia do cristal.
E enquanto não partimos (enquanto a taça não se parte), brindemos!

Claudia Perotti disse...

Olá,

Agradeço-te a visita na minha página. Confesso-te que foi com grande surpresa que deparei-me com tão belos textos.

Adorei!

Beijinhossss

Miss Slim disse...

Obg pela visitinha no meu blog, volta sempre.

Adorei os textos.

Bjo

ariana disse...

Bonito texto.
Bjs

Skin on Skin disse...

Imagem e poema angustiantes...não deixes a taça partir...para que não tenhamos que partir!

Beijokas on skin

tb disse...

belíssimo!...

impulsos disse...

Mas entre o chegar e o partir
Ainda temos algum tempo
Tempo de viver e sorrir
E as tristezas lançar ao vento

Beijinho

PS. Este blog é bem giro;)

meialua disse...

Obrigada pela visita, gostei do que li por aqui, quando puder aparecerei mais vezes.
Os Fragmentos esperarão sempre por ti.
Beijokas

.*.magia.*. disse...

No intsnte em qua algo nos toca as mãos, já estamos a perder... inicia-se a contagem decrescente...

Å®t_Øf_£övë disse...

Mitro,
Tens toda a razão. A vida é um instante, por isso há que vivê-la com toda a intensidade.
Abraço.