2007-05-28

Veleiros parados



No peito uma pedra!
Nos punhos cerrados
Uma raiva que medra!
Caminhos errados.
No meio do mar,
Veleiros parados,
Onde não querem chegar!

7 comentários:

Angela disse...

Bem, o comentário que deixaste no meu cantinho é fabuloso!!! Nem imaginas a gargalhada que dei!!!

Mas a leitura do teu poema provocou outra reacção bem diversa. Aqui senti a mágoa, a revolta de alguém que não consegue atingir o que almeja.
O teu poema é um grito. Que seja ouvido!...


Somos feitos de alegrias e tristezas.

Um grande beijinho para ti.

Desassossego disse...

Mudar de rumo, então?!
Beijo doce.

tb disse...

quantas vezes escolhemos os caminhos que nos hão-de levar junto do barcos que parados estao!...
jinho

mnemosyne disse...

Um poema de chuva caindo...
Parar não Mitro...é necessário prosseguir...
Um beijo e um abracinho :)

Å®t_Øf_£övë disse...

Mitro,
Estas são palavras verdadeiramente empedrenidas.
Abraço.

.*.magia.*. disse...

A âncora pesa e afunda ao fundo do coração!

É.

Sarracenia purpurea disse...

Que angústia!! Gostei :)
Beijo