2010-02-06

Sarah


(a imagem veio algures da net...)

O vento que sopra quente,
Modelando o teu corpo de areia,
Desenha a curva atraente,
Até ao horizonte onde se enleia!

Conta-me os segredos desse deserto,
Dos jardins secretos, perfumados,
Esse corpo tão longe e tão perto,
Que aos sentidos os faz embriagados!

Quando a noite cai, serena e fria,
Vêm as estrelas pra te enfeitar.
O teu sorriso, faz com que sorria,
E teus olhos brilhantes, vontade de amar!

3 comentários:

Porcelain Doll disse...

:) Que lindo... é alegre... e luminoso... :)

Ivete disse...

Olá.
Ei-lo que volta... E fico feliz em rever-te na beleza dos poemas!

Um abraço

Å®t Øf £övë disse...

Mitro,
Gostei desta comparação entre o Sarah e o amor vivido com paixão.
Abraço.