2006-07-21

Gaivota solitária


Sou gaivota só de solitária ser
Quando te quero, não estás mais,
E quando não estás, aumenta o querer!
Porque me deixas só no meu voar?
Não te importam os meus dias?
Se há em mim coisas tristes,
Que fazem as tuas alegrias?
Queria deixar de ser gaivota só.
Ser apenas apenas areia, talvez pó!
E nem é mais por ti, mas por mim,
Que me dói tanto ser assim,
Ser como sou!

Levanto de novo vôo e vou.
Para planar sobre o mar,
Que é salgado e não mata a sede,
E aonde tenho de beber!
Deve ser por isso,
Que as lágrimas sabem a sal.
É o teu interesse por mim, mortiço,
Que me pesa e faz tão mal!

4 comentários:

confusa disse...

Adorei!
Voltarei para ler novamente, uma e outra vez...

tb disse...

o melhor é gostar de ser como se é...e porque não voas só.
Beijinhos

Desassossego disse...

Voar apenas por ti...
Xi...

marulhares disse...

...Sem saberes, desenhaste-me.
Beijo
e
Abrinhus